01 setembro 2010

Poema Visual

Pessoal, mais uma quarta-feira, e mais uma vez eu estou aqui tentando fazer uma ampliação dos meus e dos seus conhecimentos em literatura!
Dessa vez trago um poema visual de Renato de Mattos, um poeta e xilogravurista de Porto Alegre, que nesse poema tenta nos transmitir a arte de se fazer poema e a sua essência, assunto que por sinal já foi bastante discutido em sala de aula, e sendo assim, entendo que para muitos a interpretação do poema irá ser bem simples.     


Bom, espero que tenham gostado , e que comentem!
Beijos, Juliana Moreira. 

4 comentários:

  1. Maria Caroline Oliveira13 de setembro de 2010 19:51

    Um dos modos de interagir com os leitores é através da imagem, e é exatamente isso que o poema visual faz.
    No poema acima, Renato de Mattos fala como a essência da poesia não está apenas no sentimento, mas busca envolver toda uma paixão e todo um momento, ao contrário disso não há poesia, onde o texto acaba sendo condenado ao poço, como é mostrado através da imagem.

    ResponderExcluir
  2. Adorei. Amei a forma como ele representou o destino que um poesia toma se não tem uma paixão e nos envolve, nos toca. E o poema visual facilita incrivelmente essa interpretação.

    ResponderExcluir
  3. No poema visual, a imagem facilita a interpretação do poema, como no poema acima, a forma que o último verso foi escrito, representa o que realmente o poeta quis dizer.

    ResponderExcluir
  4. A imagem nesse poema, creio eu, foi somente pra enfatizar a ideia de 'fundo do poço'.. O resto do poema é de interpretação única e exclusiva das palavras e da mensagem que ele tenta nos passar. E eu acho, que ele quis dizer que pra existir poesia é preciso que envolva o sentimento próprio, alheio e vários outros elementos que possam expressar a mensagem principal.

    ResponderExcluir