05 março 2010

Soneto 116 - William Shakespeare

Olá Trambiqueiros!


 vamos continuar a postar os comentarios feitos pelos alunos que lerá am os poemas.Hoje irei postar o comentario de Marcelynne sobre o poema Soneto CXVI, de William Shakespeare.


                       "Soneto CXVI"


         De almas sinceras a união sincera
         Nada há que impeça.Amor não é amor
         Se quando encontra obstáculos se altera
         Ou se vacila ao mínimo temor.
         Amor é um marco eterno,dominante,
         Que encara a tempestade com bravura;
         È astro que norteia a vela errante,
         Cujo valor se ignora, lá na altura
         Amor não teme o tempo,muito embora
         Seu alfanje não poupe a mocidade;
         Amor não se transforma de hora em hora,
         Antes se afirma, para a eternidade
              Se isto é falso, e que é falso alguém provou,
              Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou.



Marcelynne: O soneto CXVI de Shakespeare "tenta" conceituar o que na realidade é o amor, de acordo como que estamos sentindo.Shakespeare usa seus versos para mostrar que o verdadeiro amor vence barreiras, não se desmancha facilmente e não teme o tempo.O amor verdadeiro, o amor puro que Shakespeare descreve não se transforma, e dura eternamente.Ele termina o poema afirmando que está correto com os versos;" Se isto é falso, e que é falso alguém provou.Eu não sou peta, e ninguém nunca amou".



Ei trambiqueiros espero que vocês tenham gostado,e comentem depois no blog.Tchau, e não se esqueçam de dar uma olhadinha.Bijos a todos!

6 comentários:

  1. Nesse poema, Shakespeare fala de forma muito sábia e belíssima sobre o amor. Para ele, o amor que se enfraquece, que se deixa destruir por obstáculos, que esfria na primeira tempestade, que muda de hora em hora, não é amor! É o que, pra mim, significa quando vulgarizamos o verbo 'amar'! Amor, na verdade, no sentido puro da palavra, é eterno, é sólido, é forte, não teme tempo, muito menos distância.. Amor, é o que ninguém conseguiu descrever ainda, amor é amor :D
    oooolha, que liando *-* não, eu não estou apaixonada --' kkkkkkk beijos, trambiqueiros lindos e cheirosos kk :*

    ResponderExcluir
  2. Bruno diz:


    Gostei muito do poema pois ele fala que o amor quando é verdadeiro não há nada que atrapalhe, claro que a problemas mas sempre podem ser superados pois o amor é verdadeiro, eu também acho
    que todo amor deve ter brigas, pois só assim prova que o amor é verdadeiro,amor não da valor a beleza pois com o tempo ela vai embora,mas o amor fica.é isso até amanhã colegas e comentem pois esse poema é muitoo legal,também né o poema é de William Shakespeare não podia ser ruim, pra mim ele é o melhor.

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo o poema , pelo o que eu compreendi ele mostra o que pra ele é o amor , que amor verdadeiro ele é eterno , que não vai ser problemas e obstáculos que fará que o amor acabe , que amor verdadeiro enfrenta tudo que possível pra que ele nunca acabe , e se caso isso aconteça , se amor se destrói com os problemas não é amor verdadeiro , amor que é amor usa dos obstáculos pra se fortalecer e ficar mais intenso e bonito !

    ResponderExcluir
  4. Primeiramente ele diz que acima de tudo tem que haver sinceridade....e oamor verdadeiro so existe quando resite a tudo e quando nele existe a sinceridade e a confiança...O amor verdadeiro supera todas as barreira e perdura ao logo da vida e muitas vezes um setimento tão forte como este é deprezado e dito com insignificante....e no final do poema ele acaba deixando uma pista dizendo que ele é mto solitario e ninguem nunca o amou....
    Por:Lucas Alverga

    ResponderExcluir
  5. Marcelynne Aranha Almeida10 de março de 2010 17:05

    O Soneto 116 de Shakespeare, sem dúvida alguma, descreve perfeitamente o verdadeiro amor. Adoro esse soneto. Ele nos faz reler cada verso e ver o amor como um ser, que se realmente determinado, pode enfrentar tudo, todos os obstáculos.

    Obrigada por publicarem o meu comentário! (acho que ele já diz bem o que o poema me passou).

    Marcelynne Almeida.

    ResponderExcluir
  6. Concordo plenamente com Danusa. O amor, quando é amor de verdade, amor verdadeiro, não se altera, siquer muda ou se transforma quando se depara a um obstaculo. o amor verdadeiro vence tudo e todos pois não tem medo nem duvidas do que quer. sabe que ama e não se julga errado por amar. assim, quem ama de verdade vence tudo pois o mundo é a força de expressão e quem tem certeza do que quer, vence. pra mim, assim como tambem pra Danusa, o amor que se altera, que muda, que acaba de uma hora pra outra, não é amor. Pois amar, amar mesmo, só amam poucos. Pois quem ama é quem tem certeza e quem diz amar, é aquele que ainda tem duvidas até porque esse sentimento ainda não chegou em seu coração.

    ResponderExcluir