13 maio 2010

Ariano Suassuna

hello, people :D iai, tão estudando muito pras parciais? segunda-feira já começa o sofrimento kkk mas vamos ao que interessa né? Hoje a postagem é sobre uma parte do trabalho apresentado na última terça-feira (11.05).

Ao falar do Nordeste, nas outras regiões do Brasil, percebemos que ele recebe muitas críticas precipitadas e infundadas, baseadas apenas na imagem de um nordeste marcado pela crise social e pela seca. Ariano Suassuna veio para pôr essas opiniões à prova, já que evidenciou em suas obras as várias faces do Nordeste, que também possui inúmeras riquezas dignas de atenção.
Nasceu em João Pessoa mas passou a maior parte de sua vida em Recife, onde cursou Direito e Filosofia. A partir disso inicia os seus projetos literários, e sua primeira obra foi o poema "Noturno". Porém sua primeira peça de teatro só viria dois anos depois: "Uma mulher vestida de Sol". Começava assim a brilhante carreira literária de um ilustre paraibano, que mais tarde seria conhecido e admirado por centenas de brasileiros. Escreveu várias peças de teatro, dentre elas "O Santo e a Porca - O Casamento Suspeitoso", "A Farsa da Boa Preguiça" etc., mas a mais importante e que teve mais repercussão no país foi o "Auto da Compadecida" possuindo até adaptação para o cinema. Advogado, dramaturgo, romancista e professor, Ariano Vilar Suassuna deixou sua contribuição na literatura de forma alegre e espontânea e com uma linguagem coloquial de fácil compreensão, provocando o riso de milhares de pessoas.
Gente, durante as apresentações dos trabalhos, vários trechos de diversas obras foram discutidos em classe. Ficou óbvio que com o passar do tempo a literatura vai evoluindo e se aprimorando, portanto as características dos textos escritos no século XVIII, por exemplo, são diferentes de um escrito no século XX. Dessa forma, gostaria que vocês recordassem e dessem uma lida no material que foi entregue pelos grupos (folhinhas com os trechos das peças) e comentassem sobre as principais diferenças que podem ser notadas entre eles.

"Não troco o meu "oxente" pelo "ok" de ninguém!"
 Ariano Suassuna

3 comentários:

  1. Marcelynne Almeida14 de maio de 2010 16:56

    Obrigada, Carol!
    Claro que todos nós já conhecemos bem a história de Ariano Suassuna, por ser um paraibano. Mas achei super legal a sua observação no final do post. Pois, apesar das obras do séc. 19 serem bem 'atuais' nos temas, é claro que muitas diferenças existem do teatro do séc. 19 para o séc. 20.
    Beijos,
    Marcelynne Almeida

    ResponderExcluir
  2. RÉÉR ARIANO SUASSUNA É NOSSO *.*
    é tão bom ter alguém assim pra representar tão bem a nossa literatura como ele representa :D
    Parabéns foi bom aprofundar sobre o nosso mestre Ariano Suassuna!

    ResponderExcluir
  3. Ariano! Grande homem da literatura, ele expressa muito bem a nossa cultura. É muito bom aprender mais sobre ele.
    "Não troco o meu "oxente" pelo "ok" de ninguém!" Adorei! *-*

    ResponderExcluir